20 de Maio de 2019 | 13:24
redacao@diariodoms.com
-->
Política
Noticia de: 06 de Março de 2019 - 14:26
Fonte A - A+

Bolsonaro quis mostrar que alguns valores estão perdidos, diz Tio Trutis sobre post no Twitter

Parlamentar de MS diz que presidente está provocando questionamentos à população

O deputado federal sul-mato-grossense Tio Trutis (PSL) defendeu as postagens de Jair Bolsonaro no Twitter. Segundo o parlamentar, o presidente da República está usando a rede social para provocar questionamento e “demonstrar que alguns valores da sociedade estão perdidos”.

“Acho que ele está usando o que ele sabe fazer de melhor, que é [usar] a rede social para provocar questionamento. Porque, quando ele emite simplesmente uma opinião, ele é taxado de radical”, avaliou Trutis, ao Jornal Midiamax nesta quarta-feira (6). “Então, dessa vez, ele mostrou o que acontece e deixou as próprias pessoas opinarem”.

Na terça-feira (5), o presidente da República publicou um vídeo com um folião que aparece dançando sobre um ponto de táxi após introduzir o dedo no próprio ânus. Na sequência, surge outro que urina na cabeça do que dançava.

“Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conclusões”, escreveu Bolsonaro.

Nesta quarta-feira (6), Jair Bolsonaro voltou ao tema ao questionar o que significa “Golden Shower” e, imediatamente, os internautas, defensores ou críticos do presidente entraram em euforia.

Para Tio Trutis, essa é uma forma que o chefe do Planalto encontrou para não receber rótulos de seus críticos. “Se ele fala que é obsceno, ele era taxado de radical; como ele simplesmente mostrou [o vídeo], agora ele é o obsceno”.

Recuo de Moro

O congressista representante de Mato Grosso do Sul também comentou sobre o recuo do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em relação à indicação da especialista em segurança pública Ilona Szabó, para compor o CNPCP (Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária).

Tio Trutis afirma que a exoneração foi correta, pois o presidente ouviu a opinião de quem o elegeu presidente. “Acho que foi sensato naquele momento, poderia gerar algum desgaste desnecessário no governo”, opina.

“Tem pessoas mais capacitadas que ela. Ela não possui uma habilidade única necessária para o Ministério da Justiça neste momento. Tem pessoas tão boas ou até mais capacitadas do que ela para exercer essa função”, finaliza.


MIDIAMAX

social aqui