16 de Outubro de 2018 | 20:03
redacao@diariodoms.com
-->
Política
Noticia de: 23 de Agosto de 2018 - 16:56
Fonte A - A+

Mesmo desanimada com política, tem gente que faz questão de ir às urnas

Mesmo com a política em um quadro desanimador, ou, justamente por isso, alguns eleitores fazem questão de votar. É o caso de 424 pessoas que já se habilitaram no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) para votar em trânsito - permissão para quem está fora de seu domicílio eleitoral votar onde estiver no dia da eleição. O prazo para o pedido vence hoje.

Dos pedidos já apresentados, são 271 em Campo Grande e 153 em Dourados. Se houver segundo turno, 259 eleitores que estão na Capital pediram transferência temporária de título e, na segunda maior cidade de MS, 152.

"No momento de crise do País é um dever e responsabilidade ainda maior". De Minas Gerais, a psicóloga e empresária Lorena Mabel Alves se mudou para Campo Grande há um mês e fez a solicitação à Justiça Eleitoral para votar na Capital. Ela justifica a decisão ao fato de que, só com o voto, poderá contribuir no "processo de mudança e melhoria".

Para o analista político Eron Brum, as pessoas insistem em votar não "apesar" de a política estar da forma que está, mas, sim, "justamente" por isso. "Houve um desencanto com a política e com os políticos, não com a democracia".

Com os escândalos sendo noticiados em escala cada vez maior, até mesmo com a abrangência da internet e mídias sociais, os eleitores tendem a enxergar que, de fato, o voto é uma das únicas maneiras de promover mudança, avalia.

Em trânsito - Esta modalidade de voto, novidade em 2018, permite que eleitores em estado diverso ao de origem votem somente para presidente. Quem está na unidade federativa, mas em cidade diferente de seu domicílio eleitoral, consegue votar em todos os cargos em disputa este ano: governador, deputados estadual, federal, senador, além do presidente.

Na Capital, os eleitores com voto em trânsito vão às urnas somente na sede do Sebrae, na avenida Mato Grosso, e, os que votam em Dourados, na OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil seccional de Mato Grosso do Sul). Esta modalidade só ocorre em duas cidades de MS, porque só é permitida para capitais e cidades com mais de 100 mil eleitores.

O Estado tem 1.877.982 eleitores aptos a ir às urnas. A quantidade representa 1,2% do eleitorado do Brasil, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).


campograndenews 

social aqui