23 de Julho de 2018 | 14:07
redacao@diariodoms.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/8043_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Geral
Noticia de: 15 de Junho de 2018 - 11:01
Fonte A - A+

Filmada seminua pelo pai, adolescente de 15 anos chorava em vídeo

Arquivos continham três vídeos produzidos e armazenados pelo acusado, onde ele filma sua própria filha, adotada aos 10 anos

Arquivos apreendidos com um homem, que teve prisão preventiva decretada ontem (dia 14), trazem pormenores chocantes. No vídeo, a vítima, sua filha de 15 anos, chega a chorar, mas o pai prossegue filmando e focando regiões íntimas da adolescente.

Ele foi preso na manhã do dia 12 de junho, no bairro Coopharádio, em Campo Grande, após ser alvo de mandado de busca e apreensão da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Ontem, durante audiência de custódia, o juiz Mauro Nering Karloh converteu a prisão em flagrante em preventiva. Os crimes são previstos nos artigos 241 e no artigo 241-B do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

O primeiro artigo retrata o crime de “vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente”. No segundo, o crime é por adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

Os arquivos continham vídeos pornográficos diversos e três vídeos produzidos e armazenados pelo acusado, onde ele filma sua própria filha, adotada há cinco anos.

Conforme o TJ/MS (Tribunal de Justiça de Justiça de Mato Grosso do Sul), declarações de mãe e filha informam que a adolescente mandou uma foto para um amigo.

Na sequência, o pai passou o conteúdo do celular da filha para um computador. Ao ver que ela mandou fotos sensuais, mandou que fizesse para ele como havia feito para os meninos. Ela relata que o pai nunca tocou seu corpo.

Ele é funcionário de uma empresa terceirizada que prestava atendimento na Central de Atendimento ao Cidadão, da prefeitura de Campo Grande. O material apreendido foi encaminhado para o Instituto de Criminalística.


campograndenews

social aqui