21 de Maio de 2018 | 11:51
redacao@diariodoms.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/7551_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Geral
Noticia de: 08 de Janeiro de 2018 - 18:25
Fonte A - A+

Leishmaniose matou o dobro que a dengue em 2017, aponta boletim

No ano passado, 125 pessoas foram diagnosticadas com a doença transmitida pelo mosquito-palha em MS

A leishmaniose, doença transmitida pelo mosquito-palha, matou sete pessoas em Mato Grosso do Sul em 2017, o dobro do número de mortes causadas pela dengue, que também tem um mosquito – o Aedes aegyti – como vetor.

A dengue, entretanto, fez muito mais vítimas. No ano passado, conforme o último boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), 125 pessoas foram diagnosticadas com leishmaniose, enquanto 6.201 pessoas tiveram dengue.

Em sete anos, a leishmaniose matou 112 pessoas no Estado. Ainda segundo consta no boletim, 1.605 pessoas tivera o diagnóstico da doença.

Diferenças – Embora as duas patologias sejam transmitidas por mosquitos e por isso a principal forma de combate seja eliminar os criadouros do inseto, a dengue é causada por um vírus e a leishmaniose por um protozoário.

Para evitar a proliferação do mosquito-palha é importante não deixar acumular matéria orgânica em casa, mantendo o jardim capinado, a cerca viva muito bem aparada e o quintal limpo, por exemplo. Já ao Aedes aegypti se reproduz na água parada, portanto, qualquer reservatório deve ser eliminado.


campograndenews 

social aqui