18 de Setembro de 2018 | 22:41
redacao@diariodoms.com
-->
Policial
Noticia de: 18 de Dezembro de 2017 - 10:16
Fonte A - A+

Filho de vereador é preso em “boca” com arma de uso restrito

O revólver calibre 357 e droga apreendidos em “boca” onde estava filho de vereador (Foto: Divulgação)


Marcos Vinicius Medeiros da Silva, 23, filho do vereador Cido Medeiros (DEM), foi preso ontem em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Ele foi flagrado em uma “boca” de drogas no Jardim João Paulo II armado com um revólver Magnum calibre 357, de uso exclusivo das Forças Armadas. Outras três pessoas também foram presas.

De acordo com a PM, na madrugada de domingo, policiais da Agencia Local de Inteligência do 3º Batalhão se deslocaram até uma residência na Rua Antônio Joaquim de Almeida, no João Paulo II, após receberem denúncia que no local funcionava um ponto de distribuição der drogas.

Com apoio de outras equipes, os policiais abordaram Jéssica Ferreira Palácio, 24, o marido dela Fabricio Maciel Torquette , 24, que possuía contra ele um mandando de prisão, e Marcos Medeiros, que estava de posse do Magnum 357, com cinco munições intactas, além de 17 gramas de maconha no bolso.

Com o uso de cães farejadores, os policiais localizaram dentro do guarda-roupas um saco plástico com 50 pedras de crack que totalizaram 20 gramas, além de sete telefones celulares.

Os policiais foram informados também que na Rua Antônio do Amaral morava uma irmã de Jéssica, onde poderia funcionar outra “boca de fumo”. No local não foi encontrado nenhum vestígio de tráfico, mas a PM prendeu Clodielson Alves Batista, 20, de posse de um notebook furtado.

Segundo a assessoria de imprensa da PM, todos foram levados para a 1º Delegacia de Polícia, onde Jéssica e Fabrício foram autuados por tráfico de drogas, Marcos Vinicius Medeiros por porte de arma e associação ao tráfico e Clodielson por receptação.

Furto – Em setembro deste ano, Cido Medeiros denunciou na polícia o furto de R$ 2.700 de seu gabinete, na Câmara de Vereadores de Dourados. Ele contou à polícia que no dia anterior tinha ido ao banco e sacou R$ 3 mil para pagar contas, mas quando retornou ao gabinete já era quase 11h, então decidiu guardar o dinheiro na gaveta da mesa de seu gabinete, trancou com chave e foi almoçar.

Por volta de 15h, quando voltou ao local, o vereador disse que encontrou apenas R$ 300. Cido afirmou que só ele tinha a chave da gaveta e desconhecia se outra pessoa tem uma cópia. A gaveta teria sido aberta com chave, já que estava trancada, da forma deixada por ele, e não havia sinal de arrombamento.


campograndenews 

social aqui