13 de Dezembro de 2017 | 17:45
redacao@diariodoms.com
-->
Economia
Noticia de: 05 de Dezembro de 2017 - 07:29
Fonte A - A+

Comércio de MS deve movimentar R$ 4,4 milhões a menos neste Natal

Mais da metade dos consumidores não pretendem ir às compras na data

Com a economia ainda desaquecida, mais da metade dos sul-mato-grossenses não pretendem gastar com presentes natalinos. Levantamento do IPF/MS ( Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio MS) em parceria com o Sebrae/MS mostra que a principal data para o comércio estará mais fraca neste ano, com redução de 5,15% no valor total estimado das vendas. Em números absolutos, a retração é de R$ 4,45 milhões.

De acordo com a pesquisa, feita com 2.161 pessoas de 13 municípios nos dias 13 a 24 do mês passado, 47,29% dos consumidores do Estado pretendem presentear no Natal. A parcela dos que não têm planos de gastar na data corresponde a 51,41%. No ano passado, 57,30% (dez pontos percentuais a mais) manifestaram intenção de ir às compras.

O valor médio aumentou 6,21% no período, passando de R$ 189,76 para R$ 201,56. Essa alta, entretanto, não foi suficiente para evitar a queda na movimentação total do comércio decorrente da quantidade menor de pessoas que pretendem comprar. A redução, no geral, será de R$ 4,446 milhões. Neste ano, o montante estimado é de R$ 81,761 milhões e, em 2016, foi de R$ 86,208 milhões.

Fontes: Fecomércio e Sebrae

Comemorações – Esses números consideram apenas os gastos com presentes. Além disso, a pesquisa também projeta os custos com comemorações de Natal e Ano Novo. Com essas despesas, a estimativa de movimentação sobe para R$ 172 milhões.

No Natal, o índice de consumidores que irão comemorar a data em casa ou na casa de amigos é o mesmo (28% cada) e 30% afirmam que vão consumir bebidas, perfazendo um gasto médio por pessoa de R$ 207,00.

No Ano Novo, o índice de consumidores que irão comemorar a data em casa é maior que os que vão para casa de familiares ou amigos: 34% com alimentação em casa, 28% com alimentação na casa de familiares e 32% afirmam que vão consumir bebidas, perfazendo um gasto médio por pessoa de R$ 172,53.

“Desmembramos o uso de cada recurso pelo consumidor durante esse período, a fim de obtermos um retrato mais fiel do seu comportamento”, conta o presidente do IPF MS, Edison Araújo. “Com esse diagnóstico, os empresários poderão traçar estratégias para alavancar as vendas, para chegar a esse consumidor com propostas diferenciadas de preço, qualidade e atendimento. Para os comerciantes do setor alimentício, a pesquisa mostra que o atendimento deverá ser redobrado, bem como os estoques”.

A recomendação se justifica porque o levantamento mostra que, os gastos médios com comemorações aumentaram significativamente em relação a 2016. Em comemorações de natal e ano novo, o gasto médio por consumidor sul-mato-grossense será de R$ 380,00.

Para a compra de presentes, o valor médio por pessoa será de R$ 201,00 movimentando a economia do Estado em R$ 81,76 milhões. Esse valor é 5 % menor que o montante do ano passado.


Fontes: Fecomércio e Sebrae

Quem e o que ganha – Os filhos (26,5%) estão no topo do ranking das pessoas que podem ser presenteadas no Natal. Em seguida, estão mães (18%) e o cônjuge (14,6%).

A preferência de consumo é roupas (38%), brinquedos (23%) e calçados (13%). A maioria (60%) afirma que as compras serão feitas na região central e em dinheiro (81%). Qualidade (34,41%), preço (30,89%) e atendimento (17,93%) serão os itens levados em conta ao adquirir o presente.

A pesquisa também mostra um dado interessante: entre os produtos que as pessoas querem ganhar está "carro" – o item foi citado por 3,13% dos entrevistados e aparece em quinto lugar. A pretensão é alta em qualquer época, ainda mais em tempos de crise.  


campograndenews 

social aqui