20 de Novembro de 2017 | 08:25
redacao@diariodoms.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/7076_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Rural
Noticia de: 26 de Maio de 2017 - 01:28
Fonte A - A+

Com preço do milho em baixa, produtor estima prejuízo de R$ 400 por hectare

Campo Grande News

O agricultor de Mato Grosso do Sul está pagando para cultivar o milho segunda safra. A rentabilidade esperada é de R$ 1,8 mil por hectare, sendo que o custo de produção foi de R$ 2,2 mil, devido aos preços comercializados da saca, que está em torno de R$ 20.

De acordo com o analista econômico da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS), Luiz Eliezer Gama, a expectativa de colheita é de 90 sacas por hectare de milho. "Mas para cobrir os custos dessa produção, seria necessário a produção de 110 sacas. O agricultor não tem muito o que fazer, já que os preços não dependem dele, apenas, melhorar a gestão para dentro da porteira e esperar uma melhora nos valores", explica.

Os dados dos custos de produção e rentabilidade das diferentes regiões produtoras de soja e milho do Estado foram divulgados hoje (25). O levantamento faz parte do projeto MEA/MS (Mapeamento da Economia Agrícola de Mato Grosso do Sul), apresentado pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja).

O que elevou os custos de produção do milho, ainda segundo o analista, foi o valor da saca de semente com tecnologia BT, com investimento de R$ 650. "Os produtores investiram nesta semente, pois com ela não é preciso usar muito inseticida, porém, o que não era esperado é que o preço da saca do milho caísse tanto. A receita esperada por hectare não paga a depreciação", comenta.

Usando o milho convencional, o produtor investiria entre R$ 300 e R$ 400, porém, teria gastos com inseticidas. A rentabilidade da soja também está em margem estreita. O produtor sul-mato-grossense gastou R$ 3 mil por hectare para produzir e a renda por hectare está em R$ 3,1 mil. A saca comercializada da soja está com preço atual de R$ 58.

Para o presidente da Aprosoja, Christiano Bortolotto, a safra atual de milho está com um excelente desenvolvimento de produção e o clima está colaborando. "Temos até o momento, uma boa evolução da safra que vai atingir números históricos para a produtividade, mas a rentabilidade para o produtor preocupa devido a armazenagem desse grão", comenta.

Mato Grosso do Sul tem capacidade de armazenar 8 milhões de toneladas. Ainda há estocado 4 milhões de toneladas de soja. "Esperamos uma safra de milho de 9 milhões de toneladas, assim há um déficit de 5 milhões de toneladas em relação ao estoque. Isso é preocupante, porque não tem cenário de movimentação da soja para os portos e o milho também, devido aos preços", analisa.

Aplicativo - Fala-se muito em melhoria de gestão nas propriedades e para agregar valor aos produtores, foi lançado hoje o aplicativo AprosojaMS, onde o produtor pode consultar cotações, clima, ver dados do MEA, fazer simulação de custos e incluir a produtividade da propriedade no aplicativo.

Segundo Bortolotto, o aplicativo começou a ser preparado em setembro do ano passado. "Esse projeto é importante, pois com ele, levantamos dados de uma forma sistêmica com todas as informações de custo de produção, rentabilidade e levar essa informação não só para o produtor, mas também para toda a sociedade e assim, fazermos uma ação para diminuir os impactos da queda de rentabilidade e aumentar e melhorar as possibilidades do setor".

Quem explica sobre o aplicativo é o analista de gestão da Aprosoja, Leonardo Carlotto. "Uma das principais funções do aplicativo é que o produtor pode mensurar os custos que ele tem. Além disso, há informações no aplicativo sobre o andamento da safra, clima, informativos, simulador de custos. O smartphone é uma ferramenta importante para o produtor e o aplicativo foi lançado para somar e agregar valor no dia a dia da fazenda", alega.

O aplicativo foi desenvolvido junto com a Embrapa Agropecuária Oeste. Para o chefe geral, Guilherme Asmus, a ferramenta é uma informação valiosa. "Transcende apenas os dados de produtividade física, que vem aumentando ano a ano, mas o que interessa para o setor é a rentabilidade e esse aplicativo traz a informação de quanto efetivamente de como a atividade está sendo lucrativa".

AprosojaMS já está disponível para download gratuito no Apple Store e a partir de segunda-feira (29), também estará no Play Store.

 

 

social aqui