20 de Novembro de 2017 | 08:21
redacao@diariodoms.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/3140_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Rural
Noticia de: 13 de Fevereiro de 2016 - 00:35
Fonte A - A+

Governo estuda programa para ampliar produção de hortifrúti e reduzir importação

(Foto: Divulgação/Sepaf)

Pesquisadora Cássia Regina; superintendente de Desenvolvimento Rural do Estado, Edwin Baur e engenheiro agrônomo Altair Luiz se reúnem hoje para discutir novo programa.

Técnicos do Governo do Estado se reúnem hoje (12) para elaborar um plano a fim de aumentar a produção de hortifrútis em Mato Grosso do Sul e reduzir a importação desses produtos de outros Estados. Atualmente, cerca de 80% dos hortifrútis, que chegam a Ceasa (Central de Abastecimento do Estado) e são consumidos em MS, vêm de outras regiões do país.

A discussão para criação do Programa Estadual de Horticultura será coordenada pelo engenheiro agrônomo Altair Luiz da Silva com a colaboração da pesquisadora de frutas Cássia Regina Yurico Ide Vieira, da unidade de Dourados da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural).

Também participarão da reunião de hoje técnicos da Sepaf (Secretaria de Produção e Agricultura Familiar) e da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal). O objetivo é aumentar a produção, revertendo o cenário de importação a médio prazo. Os técnicos acreditam que com planejamento é possível abrir novos mercados e passar até a exportar frutas, verduras e legumes de MS.

Na segunda fase da elaboração do programa, também entrarão nas discussões as instituições parcerias, empresas e cooperativas de assistência técnica. A ideia é unir as entidades para pensar novas formas de assistência técnica e extensão rural, que já é oferecida pelo Governo do Estado.

Segundo o superintendente de Desenvolvimento Rural do Estado, Edwin Baur, a equipe já tem um esboço do programa, formatado com base nas diretrizes de trabalho da Sepaf, que deve servir de referência para o planejamento de ações.

“Vamos reunir técnicos e aproveitar a expertise de cada um para focar principalmente na ampliação da produção com sustentabilidade. Temos todas as condições de reverter esses números e produzir inclusive para exportar”, comentou o superintendente.

social aqui