12 de Agosto de 2022 | 05:35
noticiasdiariodoms@gmail.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diariocostarica/public_html/fotos/noticias/13950_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: Permission denied in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Policial
Noticia de: 04 de Maio de 2022 - 17:59
Fonte A - A+

Policial é condenado por emprestar arma para blogueira atirar na rua

Ação foi filmada e divulgada nas redes sociais em Mato Grosso do Sul

Policial militar foi condenado por emprestar a pistola .40, de propriedade do Estado, a uma blogueira que atirou em via pública em Campo Grande, gravou e depois postou nas redes sociais. A pena imposta de dois anos e dez dias-multa de , inicialmente em regime aberto, foi suspensa em troca de medidas restritivas, como frequentar determinados locais.

Consta nos autos que na data dos fatos a dupla transitava de carro, quando o PM cedeu sua arma Imbel MD7 à jovem blogueira. Ela colocou a pistola para fora do carro, pela janela, e disparou, mesmo estando insegura quanto ao fato de puxar o gatilho. Toda a ação foi registrada e divulgada nos stories dela no Instagram, com interação de outros usuários.

Ela chegou a comentar que havia 641 pessoas rindo da “tremedeira” dela ao atirar. Além disso, postou outra imagem em que a arma aparece com a seguinte legenda: “.40, onde pega arrebenta”, fazendo uma alusão ao poder de fogo do armamento cedido pela Sejusp-MS (Secretaria Estadual de  e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul).

Policial culpado

Por conta disso, o policial foi indiciado por porte ilegal de arma de fogo, denunciado pelo Ministério Público e condenado. Ao avaliar o caso, o  Alexandre Antunes da Silva, da Auditoria Militar, entendeu que as provas colhidas por meio de testemunhos e registro das redes sociais eram suficientes para embasar a condenação. No caso da blogueira, ela foi citada apenas como testemunha.

Assim, a pena referente à prisão foi suspensa. No entanto, a condenação foi mantida e o militar terá que prestar serviço à comunidade, comparecer mensalmente em juízo para informar suas atividades, não ser processado novamente, não mudar de endereço, não deixar a comarca sem autorização da Justiça, não frequentar bares e prostíbulos e recolher-se em casa a partir das 22 horas.

Midia Max

social aqui