12 de Agosto de 2022 | 06:15
noticiasdiariodoms@gmail.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diariocostarica/public_html/fotos/noticias/13816_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: Permission denied in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Diário Político
Noticia de: 22 de Março de 2022 - 08:34
Fonte A - A+

Riedel terá apoio de pelo menos 80% dos prefeitos de MS

70 dos 79 prefeitos do Estado apoiarão o pré-candidato ao Governo

O Secretário de Estado de Infraestrutura, Eduardo Riedel é e pré-candidato do PSDB à sucessão do chefe, o governador Reinaldo Azambuja.  Diante de uma disputa que promete ser dura, ele tem as vertentes certas para a sua campanha.

Riedel deve apostar nos projetos que deram certo, rematar os que precisam ser aprimorados e também garantir o máximo de alianças partidárias possível.

Na questão dos números que indicam o eventual tamanho da relação dos aliados, segundo cálculos presumidos pelos parceiros políticos de Riedel, o PSDB já teria garantido o apoio de aproximadamente 70 dos 79 prefeitos de Mato Grosso do Sul e de pelo menos metade dos 847 vereadores dos municípios.

“Se juntar os mandatos do nosso partido com as legendas dos aliados, chega perto disso”, afirmou o pré-candidato tucano. Em 2020, ano da eleição de prefeitos e vereadores, o PSDB conquistou 37 das 79 prefeituras, perto de 48% do contingente completo.

Para Riedel, a graúda aliança juntando-se ao seu redor tem um “motivo” definido: a política econômica empregada pela gestão de Azambuja, que seria o equilíbrio fiscal, quando o Estado garante o que chama de “estabilidade nas contas”.

“É um projeto forte do ponto de vista de propósito, lastreado por um modelo de gestão que funcionou, e isso está atraindo lideranças políticas em torno desse projeto”, assegurou Eduardo Riedel.

O pré-candidato afirmou também que “o que funcionou e que permitiu avanços nas políticas de excelência foi o equilíbrio fiscal e a condição de investimento. A partir do momento em que você tem condição de investimento, você atende a educação, a saúde, o social, a infraestrutura. Tudo isso funcionou, está funcionando. É um conjunto”.

O pré-candidato tucano afirmou ainda que o equilíbrio fiscal foi alcançado graças às reformas aplicadas pelo governo de Azambuja, a previdência é uma delas, no início de 2018.

À época, logo depois da reforma previdenciária estadual aprovada pela Assembleia Legislativa, o governador disse que a partir dali estava “estruturando Mato Grosso do Sul para os próximos vinte anos”.

Eduardo Riedel, em conversa com o Correio do Estado na sexta-feira (18), contou que no atual governo há “várias áreas” com projetos prontos, bons e que devem seguir sendo aplicados, mas que há “muita coisa para fazer ainda”.

O pré-candidato disse que assim que deixar o governo, até o dia 1º de abril, já para agir como pré-candidato, deve se reunir com a população para montar um “programa para os próximos quatro anos”.

ALIANÇAS

O Republicanos foi o primeiro partido a oficializar apoio à pré-candidatura de Riedel.O PSDB já conta como certa as parcerias com o PP, da ministra Tereza Cristina (Agricultura), candidata ao Senado, e ainda ao menos perto de uma dezena de siglas tidas como de menor tamanho.

Já disseram ter pré-candidatos, além do PSDB, o PSD de Marquinhos Trad; o PT, do ex-governador Zeca; o MDB, do ex-governador André Puccinelli; e o União Brasil, da deputada federal Rose Modesto.

Conquistar o apoio de chefes de Executivo e vereadores no interior é considerado um dos trunfos eleitorais para aqueles que vão às urnas neste ano e querem se eleger.

As informações são do site Correio do Estado



social aqui