19 de Agosto de 2022 | 08:18
noticiasdiariodoms@gmail.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diariocostarica/public_html/fotos/noticias/13576_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: Permission denied in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Geral
Noticia de: 07 de Janeiro de 2022 - 08:43
Fonte A - A+

Tarifa de ônibus de Campo Grande deve subir para R$ 4,40 no dia 14 de janeiro

Valor foi apresentado por Marquinhos Trad durante audiência no Ministério Público Federal (MPF) e ratificado pelo Consórcio Guaicurus e Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano.

Os usuários do transporte coletivo de Campo Grande poderão pagar mais caro para andar de ônibus nos próximos dias. Durante audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT), nesta quinta-feira (6), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) anunciou que a tarifa de ônibus deve subir de R$ 4,20 para R$ 4,40 a partir de 14 de janeiro.

Conforme a ata da reunião da Procuradoria Regional do Trabalho da 24ª Região, além do novo valor da passagem de ônibus, a proposta do chefe do Executivo tem outros pontos:

Na primeira sessão da Câmara, encaminhamento da proposta de retorno do ISS zerado para o Consórcio Guaicurus;
Providências para a devolução das importâncias depositadas pelo Consórcio nos processos judicias em andamento, referente ao ISS;
Formação imediata de uma junta para estudo e definição de valor a ser concedido ao Consórcio a título de complementação financeira e fixação da nova tarifa, com início do trabalho já para o dia de 7 de janeiro, a ser presidida pelo Secretário de Governo e Relações Institucionais e composta por representantes da Prefeitura de Campo Grande, do Consórcio Guaicurus e do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano, sendo ainda convidados representantes do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP-MS), do MPT, do governo do estado e da Câmara de Vereadores.

De acordo com a ata do MPT, o Consórcio Guaicurus disse que está de acordo com a proposta da prefeitura, desde que o movimento de greve dos trabalhadores seja adiado até 14 de janeiro, que o ISS seja ajustado de 2020 até agora, com remissão/isenção (projeto de lei a ser encaminhado) e que seja feito levantamento do depósito judicial do ISS de 2020. O presidente do sindicato afirmou que a greve fica adiada para 14 de janeiro.

A proposta não é vinculativa, dependendo dos resultados da Junta e autorizações dos órgãos municipais competentes.
G1MS

social aqui