15 de Outubro de 2021 | 18:35
noticiasdiariodoms@gmail.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/12090_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Colunistas
Noticia de: 06 de Janeiro de 2021 - 09:45
Fonte A - A+

Polícia de MS fala em 'ano cruel' com a mulher em balanço de feminicídios; veja os canais de atendimento

Estatísticas apontam 38 feminicídios no estado, sendo 11 deles na capital sul-mato-grossense.

A Polícia Civil, ao fazer um balanço dos casos de feminicídios e violência doméstica contra a mulher, fala que "2020 foi um ano cruel com as mulheres sul-mato-grossenses". Foram 38 feminicídios consumados, sendo 11 deles na capital sul-mato-grossense.

"Eu quero reforçar que o crime de feminicídio é um crime evitável e que se a mulher pedir proteção, ela conseguirá evitar um crime maior. O ciclo da violência doméstica pode ser quebrado com a solicitação de medidas protetivas e as medidas cautelares diversas, previstas na lei Maria da Penha", afirmou ao G1 a delegada titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Fernanda Félix.

No interior do estado, a mulher pode ir na delegacia mais próxima e em Campo Grande, pode ser dirigir à Deam e a Casa da Mulher Brasileira. Além disso, veja os canais de atendimento:

180 - É um telefone a nível nacional, que funciona 24 horas. Se a pessoa ligar cairá em uma central, com policiais civis e militares, que vão direcionar a ligação para o estado e município de origem. O objetivo é receber denúncias de violência, reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher e de orientar as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços, se necessário.

Site da Polícia Civil - O www.pc.ms.gov.br também possui uma ouvidoria, onde a pessoa pode fazer denúncias, sendo que não é possível se identificar e tudo será apurado.

190 - É o número de telefone da Polícia Militar (PM) que deve ser acionado em casos de necessidade imediata ou socorro rápido. O número é gratuito e funciona em todo o território nacional. Logo após a queixa e, dependendo da gravidade, os policiais já destinam viaturas para o local.

Defensorias Públicas e Defensorias da Mulher (Especializadas) - São locais de assistência jurídica, que orientam e encaminham as mulheres em situação de violência. São órgãos que pertencem ao estado e fazem a defesa de cidadãs sem condições econômicas de ter advogado. Além do acesso à Justiça, elas também tem o direito de acompanharem os próprios processos.

Juizados Especializados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher - São órgãos da Justiça, com competência cível e criminal, para julgamento e a execução das causas decorrentes da prática dos crimes de violência doméstica e familiar contra a mulher. Tudo isto está previsto na Lei nº 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), que prevê a criação dos Juizados, inclusive com equipe de atendimento multidisciplinar a ser integrada por profissionais especializados nas áreas psicossocial, jurídica e da saúde.


Com informações G1 MS

social aqui