28 de Outubro de 2020 | 20:13
noticiasdiariodoms@gmail.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/11719_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Rural
Noticia de: 24 de Setembro de 2020 - 10:34
Fonte A - A+

Durante fiscalização, Iagro e DOF apreendem três caminhões com animais e guia de trânsito falsificada

A equipe constatou que a GTA (Guia de Trânsito Animal), documento obrigatório para o transporte de gado no Estado, era falsificada e os animais oriundos do Paraguai.

Três caminhões com 120 cabeças de gado e documentação falsa foram apreendidos nesta quarta-feira (23) em fiscalização da Iagro (Agência de Defesa Sanitário Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul) em conjunto com o DOF (Departamento de Operações de Fronteiras). Os animais serão encaminhados para abate sanitário.

A apreensão ocorreu durante fiscalização de rotina da Iagro, órgão vinculado a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), no posto fiscal localizado entre os municípios de Vista Alegre e Ponta Porã. A equipe constatou que a GTA (Guia de Trânsito Animal), documento obrigatório para o transporte de gado no Estado, era falsificada e os animais oriundos do Paraguai.

“Isso significa que os animais não têm origem conhecida, por isso que foram apreendidos e serão enviados para abate sanitário. Esta é uma ação de fortalecimento do controle de trânsito e segue as ações previstas no PNEFA (Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa) ”, explica o diretor-presidente da Iagro, Danie Ingold.

A propriedade rural que constava na nota falsa como destino dos animais foi bloqueada do sistema de trânsito da Iagro e vai passar por fiscalização da unidade volante. Titular da Semagro, o secretário Jaime Verruck lembra que o Estado está passando por um período rígido de fiscalização para retirada da obrigatoriedade da vacina contra a febre aftosa.

“Nós temos uma meta de retirar a vacina e sermos livre de febre aftosa sem vacinação e, para isso, temos de ser efetivos na fiscalização dos animais. Não podemos permitir riscos para a sanidade animal, como é o caso desses animais apreendidos hoje”, afirma o secretário Jaime Verruck.

PNEFA

O Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) tem como objetivo principal “criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa e ampliar as zonas livres de febre aftosa sem vacinação, protegendo o patrimônio pecuário nacional e gerando o máximo de benefícios aos atores envolvidos e à sociedade brasileira”. Foi delineado para ser executado em um período de 10 anos, iniciando em 2017 e encerrando em 2026.

Está alinhado com o Código Sanitário para os Animais Terrestres, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), e com as diretrizes do Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (PHEFA), convergindo com os esforços para a erradicação da doença na América do Sul. Um dos seus objetivos é a substituição gradual da vacinação contra a febre aftosa, em todo o território brasileiro, que implica na adoção de diversas ações a serem desenvolvidas em âmbito municipal, estadual e nacional, com o envolvimento do Serviço Veterinário Oficial (SVO), setor privado, produtores rurais e agentes políticos.


Com informações Portal do MS

social aqui