26 de Fevereiro de 2020 | 00:41
noticiasdiariodoms@gmail.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/10397_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Policial
Noticia de: 10 de Dezembro de 2019 - 08:18
Fonte A - A+

Casal de Londrina é preso por torturar criança adotada há 2 meses em MS

Boletim de ocorrência registrado por um conselheiro tutelar fala em “marcas severas de agressão física, com indícios de tortura”

Um casal foi preso em flagrante na madrugada do último domingo (8), em Londrina (PR), por espancar o filho, de 9 anos. A criança, adotada somente há dois meses em Mato Grosso do Sul, foi levada em estado grave ao Hospital Evangélico. Sarah Carvalho, de 23 anos, e Israel Antunes, de 29, admitiram as agressões.

De acordo com o Paraná Portal e a Rádio 97,1 de Londrina, o garoto está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Ele chegou ao hospital com diversos hematomas, principalmente, na cabeça e nas costas, o que chamou a atenção da equipe formada por médicos e enfermeiros, que decidiu acionar o Conselho Tutelar. O boletim de ocorrência registrado por um conselheiro tutelar aponta para “marcas severas de agressão física, com indícios de tortura”. 

O menino nasceu em Corumbá e mora com a nova família deste outubro. 

Em depoimento, os pais confirmaram as agressões, porém alegaram que o filho teria mordido o dedo da mãe e a surra seria um corretivo na criança. “Veio me morder porque estava carregando ele para colocar no quarto para a gente poder conversar e disciplinar. Mordeu e foi para fora, saiu correndo e ficou gritando na porta. Pegamos ele, colocamos no quarto e disciplinamos de uma forma errada, já estava com a cabeça estourada. Falta de maturidade para agir com a situação”, disse a mãe.

O casal também admitiu chineladas e surra com uma varinha. Sobre graves ferimentos nas costas e na cabeça, os pais alegam que o menino se debateu enquanto era advertido. “Na bochecha e na panturrilha, foi eu. Como ele me mordeu, estava sem a outra mão, estava tentando segurar ele para tirar, a única coisa que eu vi ou dava uma cabeçada e iria machucar ele e a minha (cabeça) ou dava uma mordida, para pelo menos, ele assustar e soltar”, admitiu Sarah.

Segundo os dois, a surra ocorreu no sábado (7),. No domingo, os três teriam passado o dia assistindo filmes, mas à noite a criança começou a ter convulsões. O pai pediu orientação à mãe, que é enfermeira, e por isso procurou o hospital. 

O homem disse que também foi “disciplinado da mesma forma pelo seu pai”. Mesmo assim, ele admitiu o descontrole. "Realmente esquentamos a cabeça, ela não soube se controlar e eu também, começamos a discipliná-lo com o chinelo e a varinha.”

Com informações  campograndenews

social aqui