01 de Outubro de 2020 | 01:38
noticiasdiariodoms@gmail.com
-->

Warning: getimagesize(/home/diaridoms/public_html/fotos/noticias/10300_0.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/diariodoms/public_html/inc.exibe.php on line 49
Política
Noticia de: 19 de Novembro de 2019 - 09:00
Fonte A - A+

Puccinelli deixa a diretoria do MDB para ficar livre e auxilar partido no Estado

Ex-governador garante que não pretende ser prefeito de Campo Grande

Ex-governador André Puccinelli está deixando o comando do diretório regional do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) para ficar mais “livre” e poder auxiliar o partido nas eleições municipais do ano que vem. Apesar disso, Puccinelli continua garantindo que não irá disputar a prefeitura da Campo Grande. 

"Eu que pedi [para sair], para que pudesse ficar mais liberto, porque eu tenho que dar expediente. [..] No sentido de que eu possa atuar melhor, por não estar preso aqui, em todo o Estado”, disse o ex-governador, na tarde de hoje (18), após a reunião do MDB, na Capital. Quem irá substituí-lo é o ex-deputado estadual Júnior Mochi, nome que foi sugerido pelo próprio André. 

O nome de Mochi, por sua vez, foi aceito por unanimidade dentro do diretório. “O atual presidente fez junto aos demais uma colocação de que o fato dele ter o projeto de ser candidato ao executivo, seja municipal ou estadual, não tenha obrigação de todo fazer expediente no diretório e indicou que gostaria que fosse eu o próximo presidente”, disse o ex-deputado. 

De acordo com o até então presidente do diretório, a convenção está prevista para 15 de dezembro. “Consensualmente o nome sugerido do Junior Mochi foi aceito como unanimidade, Renato Câmara [deputado estadual] nosso secretário-geral no Estado, Eduardo [Rocha, deputado estadual] vai ser o líder do partido, então foi tudo consensual, graças a Deus”, explicou Puccinelli. 

Segundo Mochi, o partido pretende ter entre 40 e 50 candidatos de prefeituras em Mato Grosso do Sul. “Para o MDB, o mínimo é de 40 a 50 candidatos, onde estivermos aliança pré-estabelecida, indicar o candidato a vice e fazer o maior número possível de vereadores”, contou. 

“Houve a regularização da situação fiscal de todos os nossos diretórios municipais para não termos problema na eleição municipal”, disse Mochi, que também contabilizou que o partido conta com diretórios regularizados em 62 municípios do Estado. Dos outros 17, nove estão se regularizando.


Com informações Correio do estado

social aqui